30 de jul de 2009

Bons ventos para a cultura local

A “Cidade dos mais Belos Jardins” conta, agora, com uma Associação Cultural. Uma agradável surpresa aos interessados em arte.
Reunindo representantes e admiradores de algumas das várias formas de arte, como Teatro, Artes plásticas, Capoeira, Cinema, Dança, Fotografia, Literatura, Música e Patrimônio Cultural etc., a associação tem o propósito, dentre muitos outros, de promover a cultura na cidade de Batatais, desenvolver projetos e ações na área artística, motivar convênios com entidades para o desenvolvimento de projetos e estimular a troca de conhecimentos.


(Ao lado, foto do diretor do GTP, Ferrnando Faro, com dois artistas locais, durante reunião da Associação.)


Encabeçada pela pesquisadora cultural Alessandra Baltazar e pelo educador e artista plástico Leandro Siena, juntamente com um grupo de amigos, a Associação Cultural saiu do papel e ganhou vida com o evento no sábado, dia 25 de julho de 2009, na Estação Cultura, a partir das 17:00, quando ocorreu o Cine-Foto-Chá, um evento que reuniu diversos artistas locais.
Assim que chegamos à Estação, as obras do “Zé do Lino”, artista plástico, e algumas peças raras do Gaspar do Prado, colecionador, roubaram a cena. Traços tão geometricamente coloridos que, a mim, traziam tanta leveza e um sabor de infância. Rodei por aquele cômodo durante um bom tempo, pois não conseguia me desligar daquelas pinturas que me faziam lembrar de algo desconhecido. A seguir, o encantamento ficou por conta das fotografias de Júlio Garbelline. Tão simples, mas tão impossíveis de serem acreditadas.
Em seguida, em meio a algumas apresentações, Célia Natalina declamou, maravilhosamente, dois belíssimos poemas, um deles era “Ouvir estrelas”, de Olavo Bilac. A emoção transbordava. Depois, foi a vez do cinema mostrar-se. Dois curta metragens foram apresentados, sendo um deles do Leandro Siena.
Chegou, então, a vez do Teatro dar a sua colaboração! Houve a apresentação dos dois grupos teatrais batataenses envolvidos com a associação. A performance do Grupo Teatral Plenitude, chamada Ponto de Partida, embasava-se na música “Trenzinho Caipira”, e trazia a representação de 8 artes (Pintura, Escultura, Fotografia, Dança, Música, Cinema, Patrimônio Cultural e Teatro), as quais, trabalhando juntas, ganhariam mais força. Como, realmente, tem de ser. Por fim, a música também apareceu pela estação, com a percussão feita pelos meninos da capoeira e o canto por duas excelentes cantoras batataenses.
Foi assim que se encerrou o Cine-Foto-Chá, com a esperança transbordando e o tal gostinho de quero-mais.


(Foto dos colaboradores da Associação Cultural de Batatais.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tuas palavras são mundos!

Related Posts with Thumbnails