19 de mar de 2010

Reflexão daquele domingo

Olá! Tudo bem com você? Poxa, que bom!

No último domingo, enquanto assistia as oficinas, ouvi uma coisa dita pelo Fernando que ficou “martelando” em minha cabeça. Ele perguntou se alguém sabia o motivo pelo qual, mesmo existindo tantos e tantos grupos teatrais pelo Brasil afora, apenas dois ou três atores são considerados tão bons, são “os feras” do teatro. E ele deu a resposta: esses dois ou três não têm preguiça de construir, destruir, reconstuir seus personagens. Não, não. Ele não usou essas palavras, mas foram elas que chegaram a mim.

Isso me incomodou. Afinal, é claro que essa era a razão. Como não pensamos nisso antes!? Não pensamos por preguiça, porque, uma vez mais, esperamos as respostas e deixamos o ator pensante para trás, abandonado.
Ser ator é a profissão mais difícil do mundo. Isso foi o Fernando quem disse, e eu, quieta, precisei concordar. É tarefa árdua ser ator. Árdua, mas não inglória. E, de novo, ele estava certo, certíssimo.
Quando o Fernando mencionou os grandes atores, apareceu aquele óbvio nome “Fernanda Montenegro”. Então era esse o segredo dela? Atriz pensante, que se conhece tão bem a ponto de se construir, destruir, reconstruir...






Curiosa, achei:

A busca do ser, o desejo de se saber quem é, sempre foi um desafio na vida
de Fernanda Montenegro. Talvez, por causa do silêncio profundo que essa busca
costuma encontrar como resposta, Fernanda tenha se transformado tantas e tantas vezes ao longo da vida. Provavelmente, por causa dela, tenha optado pela
carreira de atriz.



É isso mesmo! A chave para um ator, quase literalmente falando, é se conhecer.

É estranho como as coisas parecem ser, depois de ditas pelo outro, tão óbvias. A culpa disso é da preguiça, mas defendo os atores (embora, possa, com isso, complicar-lhes mais), dizendo que é a preguiça inocente, é a falta de consciência. Eu sei! Ator precisa ter consciência de si, do seu mundo, do outro. Pois é, restam, ainda, tantas coisas, quase entendidas, para serem colocadas em prática.

Conhecer, pensar, agir, e, depois, repensar para refletir são ordens para um ator.

Beijos, amores!
Related Posts with Thumbnails